Em fase de conclusão, Hospital Regional do Tapajós vai atender seis municípios

Nesta segunda-feira (8), os secretários de Estado de Saúde, Alberto Beltrame, e de Obras Públicas, Rui Cabral, inspecionaram as obras do Hospital Regional do Tapajós, em Itaituba, no oeste paraense, que estão sendo concluídas e devem ser entregues à população no segundo semestre deste ano. A vistoria foi acompanhada pelo secretário Regional de Governo do Baixo Amazonas, Henderson Pinto.

O Hospital Regional do Tapajós terá capacidade para atender cerca de 250 mil pessoas, contemplando, além de Itaituba, os municípios de Novo Progresso, Trairão, Jacareacanga, Aveiro e Rurópolis. A obra representa um investimento de quase R$180 milhões, e conta com financiamento da Caixa Econômica Federal.

"Primeiro precisamos falar da importância do hospital para essa região, que vai atender não só Itaituba, mas todos os municípios do entorno, sendo de extrema necessidade e importância para essa população. A Sedop (Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas) concluiu a obra, depois entregou para a Sespa (Secretaria de Estado de Saúde), e está no prazo de garantia. As correções, adaptações e testes que forem eventualmente acontecer durante o processo de utilização, deverão ser refeitos. Por isso, hoje nós estamos aqui mais uma vez vistoriando, em contato com os empresários que executaram a obra, em contato com o secretário Beltrame, para a necessidade de nós aceleramos a aquisição dos equipamentos de forma definitiva, e entregarmos essa obra", informou o titular da Sedop, Rui Cabral.

O terreno onde está sendo construído o hospital - com 12.789,90 metros quadrados - foi doado pelo Estado. A área construída totaliza 16.290 metros quadrados. O hospital foi projetado para ofertar atendimento de alta complexidade, com uma estrutura para 170 leitos, sendo 30 de Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs) –10 para a UTI adulto, 10 para a neonatal e 10 para a pediátrica. A população terá acesso às seguintes especialidades: clínicas médica e cirúrgica, pediatria e obstetrícia, além de leitos para isolamento; dos serviços de mamografia, ressonância magnética, tomografia, raio X, ultrassonografia, endoscopia e terapia renal substitutiva.

Referência - Para o secretário Alberto Beltrame, a região terá um hospital de referência. "Nós estivemos aqui em março, no Governo Itinerante, e estamos vendo agora o avanço das obras. Estamos nos encaminhando pro término das obras, e eu consigo estimar, assim como o pessoal da própria empresa, em torno de 120 dias para a conclusão das obras físicas do hospital. Eu espero que nesse período a gente consiga equipar o hospital e colocar em funcionamento antes do final do ano", disse o secretário.

Segundo o titular da Sespa, "nesse momento estamos definindo alguns equipamentos básicos, por exemplo, ressonância magnética e tomografia, para que a obra ainda consiga ser adaptada ao equipamento. Então, precede a conclusão da obra a definição deste tipo de equipamento. O governo do Estado está identificando atas de registros de preço, para que possa fazer adesão ou, eventualmente, licitar esses equipamentos para que, em curto prazo, pelo menos a descrição do equipamento esteja disponível para que a construtora consiga concluir as obras e nos entregar".

Por William Serique (GABGOV)

Foto em destaque: Marco Santos/ Ag. Pará