Início >> Operação no rio Amazonas finaliza resgate de corpos de empurrador

Operação no rio Amazonas finaliza resgate de corpos de empurrador

As equipes de buscas da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) localizaram, na tarde desta quarta-feira (6), o nono e último corpo que se encontrava dentro do empurrador TBL CXX, de propriedade da Transporte Bertolini Ltda. A embarcação está posicionada sobre uma balsa no rio Amazonas, a aproximadamente oito quilômetros da cidade de Óbidos, oeste paraense.

O trabalho de resgate dos corpos das vítimas iniciou no dia 15 de novembro com a operação de içamento do empurrador de mais de 30 metros de comprimento. Militares do Corpo de Bombeiros, Defesa Civil do Estado, peritos do Centro de Perícias Científicas “Renato Chaves”, policiais civis e militares, além de integrantes dos Grupamentos Fluvial e Aéreo da Segup, Marinha do Brasil e das empresas Bertolini e Smit, atuam na operação de resgate.

A previsão é de que os nove corpos cheguem em Santarém ainda na manhã desta quinta-feira, 7. Peritos do CPC continuam o trabalho para agilizar a liberação dos corpos aos familiares. Os corpos das vítimas, em estágios de esqueletização, estão sendo acondicionados em sacos cadavéricos e colocados sob uma barraca da Defesa Civil, instalada na balsa. Dos quatro corpos localizados hoje, um foi pela manhã e três no período da tarde. Todos estavam no convés principal, sendo que grande parte teria sido surpreendida nos camarotes.

O TBL CXX foi içado totalmente na tarde de ontem, 5, a oito quilômetros da sede da cidade de Óbidos, no rio Amazonas. A empresa holandesa Smit, contratada pelo clube de seguradoras da empresa Transportes Bertolini Ltda., foi a responsável em reflutuar a embarcação que foi para o fundo do rio Amazonas após se chocar com o navio cargueiro Mercosul Santos. O acidente ocorreu no dia 2 de agosto deste ano. No momento da batida, o empurrador deslocava nove balsas que transportavam grãos provenientes da cidade de Porto Velho, em Rondônia, com destino de Santarém.

Comando – Desde agosto, a Defesa Civil estadual instalou em Santarém uma ‘Sala de Situação’ com orientação operacional aos órgãos envolvidos, e em paralelo oficializou o sistema de informação direcionado aos familiares. Da Sala fazem parte CBM, Polícias Civil e Militar, CPC, além da Marinha do Brasil – Capitania dos Portos. 

 

Inquérito – Mais de 20 pessoas (algumas mais de uma vez) já foram ouvidas pela Polícia Civil no inquérito que apura as causas do acidente. O prático e o encarregado, ambos da empresa Mercosul, que estavam operando o navio no dia do acidente, foram indiciados. A principal linha de investigação é de que tenha havido negligência dos operadores do navio e da embarcação.

Para detalhar o resultado da operação e as próximas etapas do trabalho pericial dos nove corpos e da embarcação, representantes das forças de segurança envolvidas na operação, estarão falando, em Santarém, com a imprensa durante coletiva. Horário e local ainda estão sendo definidos. 

Por Sérgio Chêne
Segup

Data: 6/12/2917