Quelônios são soltos nas Unidades de Conservação da região do Araguaia

Mais de 2200 filhotes de tracajás e de tartarugas-da-amazônia foram soltos à beira do rio Araguaia na primeira semana de maio. A soltura foi realizada pela Gerência da Região Administrativa do Araguaia (GRA) do Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade (Ideflor-bio), em parceira com o Instituto Ambiental Xambioá (IAX), no município de São Geraldo do Araguaia, no sudeste do Pará, e representou cerca 52% dos ovos de quelônios que foram resgatados em ações das instituições em 2017.

A soltura contou com a participação das comunidades do interior e do entorno da Área de Proteção Ambiental do Araguaia e do Parque Estadual Serra dos Martírios-Andorinhas, as quais são geridas pelo Ideflor-bio. Estudantes e docentes das comunidades Ilha do Campo, Sucupira, Santa Cruz e do Projeto de Assentamento Buqueirão puderam ver, ao vivo, o ritual de liberação dos animais recém-nascidos.

“A participação das comunidades locais na soltura dos quelônios é mais uma atividade de sensibilização e de educação ambiental que realizamos junto aos alunos e professores das escolas da rede pública que compõem as duas Unidades de Conservação”, afirma Evandra Vilacoert, gerente da Região Administrativa do Araguaia.

Os quelônios foram soltos nas margens direita e esquerda do rio Araguaia. Em 2017, a parceria entre o Ideflor-bio e o IAX resgatou 4400 ovos de quelônios em locais de risco, o que representa um aumento de 270% na quantidade de ovos coletados em períodos anteriores.

Após o resgate, os ovos de quelônios são mantidos em um berçário implantado pelo IAX na região do Araguaia. Eles recebem cuidados até chocarem e os quelônios recém-nascidos continuam no berçário até atingirem o tamanho e peso ideais para a soltura nas praias que margeiam o rio Araguaia.

“Esses ovos são resgatados em zonas de alagamento ou de predação, seja de animais ou, principalmente, de humanos. A soltura desses mais de 2200 animais mostra a força e o compromisso da parceria entre as duas instituições para o manejo conservacionista dos quelônios da Amazônia. A parceria se fortalece ainda mais com o Projeto de Preservação de Quelônios na Zona de Amortecimento do Pesam e da APA Araguaia”, acrescenta Evandra Vilacoert.

Por Dilermando Gadelha
Ideflor-bio

Data: 8/5/2018