Início >> Sespa inicia busca ativa de mulheres para exame preventivo

Sespa inicia busca ativa de mulheres para exame preventivo

Começou neste domingo (11), no bairro de Águas Negras, em Icoaraci, a busca ativa de mulheres que nunca fizeram ou estão há mais de três anos sem fazer o exame preventivo do câncer de colo do útero, o Papanicolau ou PPCU. Trata-se do Plano Piloto de Rastreamento do Câncer de Colo do Útero, uma das ações que integram a Campanha Março Lilás, destinada a chamar a atenção das paraenses sobre a importância de fazer periodicamente o exame para detecção precoce desse tipo de câncer.

A Campanha Março Lilás é promovida pela Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) por meio do Núcleo de Apoio à Gestão na Atenção à Mulher no Controle do Câncer de Colo de Útero e Mama (Nagam), com o apoio do Comitê Estadual de Controle do Câncer do Colo do Útero e Mama, Regionais de Saúde e municípios paraenses.

Com a parceria da Secretaria Municipal de Saúde de Belém (Sesma), a Sespa instalou a Unidade Móvel de Ginecologia, em frente à Unidade Básica de Saúde de Águas Negras, onde permanecerá durante sete dias (de 12 a 17 de março), funcionando pela manhã e à tarde. Depois desse período, a unidade seguirá para o bairro da Agulha, também em Icoaraci, onde ficará por 15 dias (de 19 a 31 de março). A meta é realizar até dois mil exames prioritariamente em mulheres na faixa etária de 25 a 64 anos.

A secretária adjunta da Sespa, Heloísa Guimarães, esteve no local e se reuniu com a equipe para falar sobre a importância do acolhimento humanizado na das mulheres que procuram pelo exame, porque muitas delas, desconhecem como é feito e precisam, primeiramente, ser acolhidas e esclarecidas pela equipe de enfermagem.

Sobre a Campanha Março Lilás, Heloísa afirmou que é uma ação de suma importância. “A gente quer realmente salvar vidas, essa é a missão da Sespa. Procuramos saber o porquê da mulher paraense morrer de câncer de colo de útero e, descobrimos que a principal causa, é o fato de nunca ter feito o exame de colo de útero. Então, estamos em busca dessas pacientes. Estamos, literalmente, indo atrás com nossa unidade móvel, fazendo parcerias com os municípios em diversos pontos do Estado para estimular a busca dessas mulheres”, explicou a gestora da Sespa.

A equipe da secretaria também tem conversado com a comunidade. “Uma palavra que a gente tem usado nas palestras é generosidade, seja generoso, converse com sua vizinha, sua funcionária, diretora da escola e pergunte há quanto tempo ela não faz ou se já fez o exame preventivo. E a generosidade é trazer essa mulher até a coleta”, ressaltou Heloísa. “E foram vários aspectos pensados para fazer com que a cascata toda funcione desde o momento da mobilização em busca das mulheres até garantir que as unidades funcionem, que tenham insumos, que o exame seja entregue e essa mulher possa depois fazer o tratamento e ficar curada”, acrescentou a secretária adjunta.

Ela também informou que a ação está começando por Icoaraci, porque em várias audiências públicas realizadas, nos últimos três anos no distrito, com mediação do Ministério Público do Estado, a equipe da Sesma sempre apontou diversas fragilidades e na reunião com os municípios da Região de Saúde Metropolitana I, foi decidido que a ação começaria por eles por concentrar um grande número de mulheres. “O plano tem a previsão de durar 12 meses e será expandido gradativamente para outros municípios. Espero que a gente faça o ano lilás e que a gente consiga estimular em vários municípios a coleta do Papanicolau”, concluiu Heloísa.

Orlandina Rodrigues, de 63 anos de idade, foi a primeira mulher a comparecer na Unidade Móvel. Ela disse que não fazia o exame há três anos porque estava em Igarapé-Açu, e resolveu, então, aproveitar a oportunidade disponibilizada. Por ter chegado muito cedo, não pôde esperar a montagem dos equipamentos, e voltará na segunda-feira (12) para fazer o exame.

Apesar de morar em frente à Unidade Básica de Saúde UBS de Águas Negras, Helena Costa também estava há mais de três anos sem fazer o exame. “Me senti estimulada e resolvi fazer”, contou.

Maria de Nazaré Ferreira, de 28 anos, estava há mais de quatro anos sem fazer o preventivo. Confessou que tem receio, mas, tendo um filho de sete anos, resolveu dar mais atenção à própria saúde. “A gente precisa se cuidar também”, afirmou.

Lilás

Com o slogan “O Pará unido na Prevenção e Diagnóstico do Câncer de Colo do Útero”, a campanha será aberta oficialmente, nesta segunda-feira (12), com uma roda de conversa sobre “Prevenção e Diagnóstico do Câncer de Colo do Útero”,  às 9h, no auditório da Santa Casa. O evento terá como destinatárias mulheres de organizações que atuam em defesa dos direitos das mulheres e servidoras de instituições de saúde.

 Por Roberta Vilanova
Sespa

Data: 11/8/2018